Sobre o Projeto Livro Galego

O Projeto Livro Galego parte do entendimento do campo editorial como um objeto de estudo privilegiado para nos aproximarmos do conhecimento 1) da circulação de produtos culturais em formato livro e das ideias que eles suportam, 2) dos programas e estratégias de ação de grupos e agentes que participam em sistemas culturais complexos, ou 3) das relações internas e externas destes agentes quer entre eles, quer com outros campos (culturais ou do poder) ou com sistemas literários e culturais em contacto (a realizarem estes funções referenciais de variado tipo para o sistema cultural em foco). Em geral, o estudo do campo editorial galego fornecerá, então, conhecimento útil 4) da estrutura e funcionamento do sistema literário e cultural galego historicamente considerado, 5) da elaboração e socialização de ideias destinadas tanto à identificação e coesão interna da comunidade galega como à fixação dos modos e funções das relações com outras comunidades em contacto e, enfim, 6) da organização sócio-comunitária da Galiza e da função que desempenham e a posição que nesta comunidade ocupam os vários agentes ativos nos campos de produção política, ideológica e cultural.

A informação contida na Base de Dados do livro galego no período autonómico (1978-2019) está sujeita a normalização e revisão periódica por parte das pessoas responsáveis pola edição e será atualizada, de regra, com carácter anual por meio da publicação de uma versão atualizada

A partir destas considerações, uma equipa de trabalho sediada na Faculdade de Filologia da Universidade da Corunha (UdC), composta neste momento por Roberto Samartim e Lucia Cernadas, iniciou em 2020 o Projeto Livro Galego com o estudo do funcionamento do campo editorial galego do período autonómico (1978-2019). A estes efeitos, e como primeira fase deste projeto de investigação, foi desenhada no seio da equipa e construída por Ideia. Comunica & Inova, uma base de dados destinada a censar, organizar e disponibilizar toda a informação bibliográfica e documental relativa aos livros publicados em galego neste período.

Esta Base de Dados do livro galego no período autonómico (1978-2019) está destinada à realização de análises quantitativas, qualitativas e relacionais de diverso tipo (contagens, cronologias, gráficas e diagramas, cartografias, geolocalização, análise de redes sociais, etc.) mas também, juntamente com múltiplas explorações e abordagens de base empírica e relacional, permite a publicação da informação nela recolhida em formato de repositório bibliográfico e a sua disponibilização para o acesso, consulta e eventual descarga livre e gratuita por parte do pessoal investigador e público geral interessado. Essas consultas na informação disponibilizada ao público poderão ser feitas de maneira simples e acessível, quer através de procuras relacionais complexas previamente estabelecidas quer por meio de consultas abertas realizadas polas pessoas usuárias sobre fragmentos ou sobre a totalidade dos dados do repositório.

O Projeto Livro Galego contempla, em função do acesso e disponibilidade de recursos, o alargamento da pesquisa em fases posteriores, quer focando períodos cronológicos prévios do campo editorial galego (1963-1978, 1936-1963, 1916-1936, etc.) quer incluindo línguas de publicação diferentes do galego ou diferentes formatos de materiais (revistas, audiovisuais, etc.).

Esta Base de Dados do livro galego no período autonómico (1978-2019) (construída com software livre e em formato aberto combina os catálogos disponíveis mais fiáveis e oferece a informação bibliográfica mais completa que conhecemos sobre a totalidade do período autonómico galego. Aliás, esta BD preenche alguns défices detetados em relação ao livro galego do período em foco, nomeadamente no que tem a ver com o acesso e disponibilização de uma informação – embora essencialmente pública – até o de agora dispersa, fragmentada e pouco acessível. Neste sentido, o desenho sequencial do catálogo do ISBN espanhol impede o acesso a grandes volumes de dados, para além de ficar restringido desde a sua transferência em 2010 ao Distribuidor de Información del Libro Español en Venta (DILVE) – gerido pela Federación de Gremios de Editores de España (FGEE) – e a privatização da sua gestão em 2015. Igualmente, na maioria de fontes (de entre as quais o próprio ISBN, Rebiun, WorldCat, a biblioteca da USC e a Biblioteca de Galicia) a extração de dados robustos por língua e/ou ano resulta impossível.

A informação contida na Base de Dados do livro galego no período autonómico (1978-2019) está sujeita a normalização e revisão periódica por parte das pessoas responsáveis pola edição e será atualizada, de regra, com carácter anual por meio da publicação de uma versão atualizada que dê conta da evolução dos volumes de produção editorial do livro galego de 2019 para a frente.

Igualmente, o Projeto Livro Galego contempla, em função do acesso e disponibilidade de recursos, o alargamento da pesquisa em fases posteriores, quer focando períodos cronológicos prévios do campo editorial galego (1963-1978, 1936-1963, 1916-1936, etc.) quer incluindo línguas de publicação diferentes do galego ou diferentes formatos de materiais (revistas, audiovisuais, etc.).